Demolição do país - por Alexandre Garcia

É tanta notícia na televisão mostrando dirigentes do país roubando milhões, o que esperar que se forme em sua cabecinha? Quantas vezes ouviu dos mais velhos “se os outros fazem, eu posso fazer também”?  



Existe indústria da multa? - por Gleydson Mendes

Basta observar os veículos em circulação que é possível identificar dezenas de irregularidades praticadas por seus condutores. Evidentemente que não existe ninguém perfeito que consiga respeitar integralmente todas as leis de trânsito, que por sinal são complexas e mudam com certa frequência, aliado ao fato de que a maioria das pessoas não dá a devida importância ao trânsito


Noticiário Policial - por Menelau Júnior

Nos jornais, são comuns expressões exageradas quando lemos as páginas dos fatos policiais. E quando a matéria tende a ser sensacionalista, haja exageros! Se a pobre vítima foi alvejada por um projétil calibre 38, lemos que foi "fuzilada".



“Kleptocracia” explode o custo Brasil - por Luiz Flávio Gomes

“São as elites e oligarquias governantes e dominantes as grandes responsáveis pelo grau insuperável de degeneração moral no ambiente cultural, econômico e político. Sem credibilidade não há investimento, e sem investimento não há crescimento econômico”

A um clique de um grande amor - por Beth Veloso

Os tempos de Barbie e Falcon acabaram. Hoje em dia até mesmo as bruxinhas podem ser encantadoras. Elas só precisam encontrar o seu Merlin. Na rede de relacionamentos que é a internet, você pode se casar, descasar, juntar ou fazer juras eternas de amor”




E se fossem um juiz, um presidente e um professor?

A virulência psicológica e física a que são submetidas as mulheres, em pleno século XXI, independentemente de serem elas a Chefe do Poder Executivo do País, um membro do Poder Judiciário ou um membro da Academia, o que nada mais é que reflexo de uma sociedade patriarcal que tenta ratificar a hegemonia masculina por meio da submissão da mulher.


Dunga, até quando? - por Mauro Cezar Pereira

Nessa segunda passagem à frente do time cebeefiano, Dunga dá seguidas demonstrações de que não é capaz de tirar o melhor dos jogadores. Sequer relaciona os melhores. E entre dois zagueiros que choraram na Copa do Mundo, escolhe o pior. A partida contra o Uruguai foi mais um exemplo claro, nítido, de que a "Era" pós 7 a 1 poderá ser ainda mais macabra se nada for feito. O rumo precisa mudar logo.