Importante, mas nem tanto, Douglas Cintra assume mandato.

Com a posse no Senado Federal do suplente de Senador, Douglas Cintra, Caruaru volta a ocupar espaço no cenário nacional. A cidade que teve em outros momentos três deputados federais, Fernando Lyra, Roberto Fontes e Tony Gel, contava até hoje apenas com o jovem, porém experiente Deputado Federal Wolney Queiroz, candidato à reeleição, apontado como grande responsável por chegar aos cofres públicos os recursos de origem federal. Agora a Capital do Agreste passa ter duas vozes em defesa da cidade.

O fator diferenciado que o novato Senador encontrará lá em Brasília é, nesse período, o esvaziamento daquela Casa Legislativa. Para Cintra é praticamente impossível emplacar algum Projeto. Serão três meses que darão à Caruaru o privilégio de ter tido, ao longo da história, representantes em todas as instâncias da política nacional. Faltando, tão somente, a participação na disputa ou a eleição ao cargo mais elevado do país, Presidente da República. Não se pode deixar de registrar que o ex-ministro Fernando Lyra foi candidato a vice na chapa de Leonel Brizola (PDT).

Douglas, que há tempo se articula para entrar nas disputas eleitorais, assume uma cadeira de grande relevância sem nunca ter sido testado nas urnas. Há quem diga que o ilustre congressista é o responsável direto pela eleição da maioria dos vereadores na Câmara Municipal de Caruaru, fato esse porém bastante questionável, uma vez que, dos 23 edis, apenas dois estariam no palanque de Armando Monteiro. Situação semelhante foi notada na eleição de 2008, quando o empresário era apontado como candidato a vice prefeito de José Queiroz.

Como “águas passadas não movem moinho”, o Senador Douglas Cintra depende muito da vitória do candidato petebista ao Palácio das Princesas. A partir de então, poderá mostrar sua desenvoltura e dizer a que veio. Até lá, o cargo de Senador será meramente curricular e de motivo de orgulho para Caruaru. Será muito importante, também, para o eleitor que passará a conhecer de fato o político da família Cintra. Não há dúvidas que de empresas e comércio o jovem Senador entende muito, mas terá que demonstrar conhecimento da máquina pública e de projetos sociais. Caso contrário, terá sido um momento importante, mas nem tanto. 

Laércio Emídio

Cientista Político