Plano Safra para Agricultura Familiar é lançado em Pernambuco

 

Foi lançado, na manhã da última quarta-feira (18), o Plano Safra para Agricultura Familiar biênio 2014/2015. O secretário de Agricultura e Reforma Agrária, Aldo Santos, e o Ministro do Desenvolvimento Agrário, Miguel Rossetto, anunciaram a previsão da liberação de recurso na ordem de R$ 480 milhões em crédito para os agricultores familiares de Pernambuco. Ao todo, o Plano destina R$ 4,6 bilhões para a região do semiárido brasileiro.
 
O Plano Safra para Agricultura Familiar tem o objetivo de garantir uma maior produção de alimentos, aumentar a renda dos produtores e estabilizar os preços para os consumidores, além de ampliar, especificamente em Pernambuco, as ações de fortalecimento da agricultura familiar.
 
Para Aldo Santos, a estiagem prolongada dos últimos anos deixou uma grande lição para os gestores municipais, estaduais e federais. “A ideia de convivência com o semiárido foi fortalecida, todo o trabalho realizado foi visando a uma política de estado e não de governo. É um processo para o resgate da cidadania no campo, com sustentabilidade ambiental, fazendo dos agricultores e agricultoras familiares empreendedores”, destacou.
 
O secretário ainda salientou que em Pernambuco existem mais de 270 mil estabelecimentos da agricultura familiar. “Temos 184 municípios, dos quais 122 estão no semiárido. São quatro milhões de pernambucanos vivendo numa região com potencial para crescimento econômico. Posso afirmar que, em alguns anos, Pernambuco será um produtor agroalimentar porque tem potencial para isso”, cravou.
 
Equipamentos - À tarde, o ministro Miguel Rossetto e o secretário Aldo Santos também realizaram a doação de máquinas da segunda etapa do Programa de Aceleração do Crescimento – PAC 2 – Equipamentos. Foram doados para 53 municípios, 27 motoniveladoras, 25 pás carregadeiras e cinco caminhões-pipa.

“A entrega destes equipamentos faz parte de uma ação integrada para estruturação produtiva. Cada prefeito e prefeita que está recebendo o maquinário hoje vai ter a possibilidade de melhorar o escoamento da produção e a condição das estradas rurais”, ressaltou Santos.

As máquinas, que serão usadas para estruturar as estradas vicinais da região, na abertura de açudes e aguadas e outras ações de segurança hídrica, vão beneficiar mais de 42 mil famílias de agricultores e uma população rural de aproximadamente 338 mil pessoas.