Discurso nacional na convenção do PSB de Pernambuco

 

O evento serviu para selar a candidatura de Paulo Câmara ao governo estadual, mas a convenção de ontem mais parecia um evento nacional. Todas as lideranças que discursaram no palco do Clube Português destacaram mais a candidatura presidencial de Eduardo Campos (PSB) do que a postulação de Paulo. À militância, Eduardo disse estar renovado e garantiu que vai voltar à Pernambuco como o próximo presidente da República.


No ato, também não faltaram críticas ao PT. Eduardo Campos voltou a criticar o governo da presidente Dilma Rousseff. Ele disse que a petista deixará o país numa situação pior do que encontrou. “Itamar Franco entregou a Fernando Henrique Carsodo um país melhor do que o que tinha recebido. Fernando Henrique, a quem fiz oposição, entregou a Lula um país melhor do que recebeu de Itamar. O presidente Lula entregou um Brasil muito melhor do que encontrou e, passado quase quatro anos, o país vai ser entregue pior do que foi recebido”, disse, em referência à gestão da presidente.


As críticas ao PT também estiveram presente nos discursos do senador Jarbas Vasconcelo e do prefeito Geraldo Julio, que focou na gestão municipal. Já Marina Silva teceu críticas ao PSDB e petistas. Ela se mostrou animada com a militância que cumprimentava Eduardo.


Marina contou um episódio que vivenciou na juventude. Ela disse que quando era voluntária no Acre, questionou a um bispo local os motivos de ter sido escolhida para cumprir algumas atividades. “Eu esperava que ele me elogiasse, dissesse que era porque eu era inteligente, mas ele me disse: ‘quem não tem a quem escolher, escolhe qualquer um’. Foi como qualquer um que fui candidata e tive quase 20 milhões de voto e hoje digo ‘Eduardo, é como qualquer um que estou aqui para, junto com você, te fazer presidente da República’”, declarou.

Informações do JC Online