Laércio Emídio: Quem é quem em Caruaru.

À boca miúda muita coisa é dita na Capital do Agreste, mas só quando a campanha eleitoral estiver nas ruas é que a verdade aparecerá. Tanto no que se refere às pesquisas, pesquisa é apenas um dado de determinado momento, quanto às adesões de figuras ilustres às campanhas dos candidatos. Agora qualquer afirmação é precipitada e caberá aos coordenadores e aos pleiteantes conquistar o apoio das lideranças que são, no mínimo, fundamentais para abrir o caminho rumo à vitória em outubro de 2014.

Em Caruaru “balões de ensaio” são soltos ao ar, cheios de suposições e, por enquanto, nenhum deles estourou. Certo mesmo somente o apoio individual das grandes lideranças. O Governador João Lyra, o Prefeito José Queiroz, o Vice-prefeito Jorge Gomes, as deputadas estaduais Raquel Lyra e Laura Gomes, o deputado federal Wolney Queiroz, o deputado Tony Gel e a ex-deputada Miriam Lacerda já declararam apoio a Paulo Câmara. O Senador Douglas Cintra e Vereador Demóstenes Veras estão com Armando Monteiro.

Já na Câmara Municipal muitos mandatários ainda não se declararam. Talvez por conta de uma experiência recente quando a maioria estava fechada com uma chapa majoritária na eleição municipal que não se concretizou. Muitas provocações já tinham ecoado e um passo atrás teve que ser dado. Com exceção de Demóstenes que será candidato a deputado estadual, apenas Lula Torres, Marcelo Gomes e Gilberto de Dora se definiram. O silêncio toma conta dos demais, muitos deles presos à Cartilha de Cintra, mas cautelosos porque serão chamados a conversar.

O resultado do “bate papo” com os maiores caciques definirá quem fica com quem em 2014. O desfecho poderá garantir uma vitória esmagadora ou apertada. Se for com ampla vantagem o vencedor se credenciará para apontar o candidato ou candidata mais forte na disputa pela Prefeitura do maior Colégio Eleitoral do interior do Estado, mas, seja quem for, não poderá perder de vista que em 2016 poderá haver segundo turno. O prudente é deixar qualquer decisão para depois das convenções. Essa prudência angustia e pode levar à loucura aqueles que estão diretamente ligados à eleição na condição de canditado.