Bahia bate o Sport e conquista a Copa Nordeste

 

Com uma vitória por 1 a 0, com um gol de Edigar Junio, o Bahia repetiu os feitos de 2001 e 2002 e se sagrou campeão da Copa do Nordeste na Arena Fonte Nova, em Salvador. A taça coroa uma campanha que tem como destaque o fato do Esquadrão não ter levado nenhum gol diante de seu torcedor durante toda a competição. Ao Leão, que buscava o Tetra, fica a lamentação por ter feito um jogo muito abaixo do que se esperava. A expulsão infantil de Rogério ainda no primeiro tempo também dificultou a missão dos pernambucanos fora de casa.

Ney Franco surpreendeu ao escalar seu time com três zagueiros e com Raul Prata no lugar de Everton. O problema é que parece não ter dado tempo de seus comandados assimilarem bem a nova postura. O Leão não se encontrou na primeira etapa.

Por outro lado, o Bahia sobrou. O Tricolor ignorou a vantagem de jogar pelo empate sem gols e partiu para cima. Aos 11 minutos, Edigar Junio recebeu de Armero, girou em cima de Durval e cavou por cobertura de Magrão, a lá Romário. Um golaço.

Só dava Bahia. Régis estufou a rede pelo lado de fora e enganou metade do estádio. Edigar Junio aproveitou bola alçada na área e cabeceou na trave.

E não bastasse o Sport mal chegar ao ataque, Rogério ainda piorou as coisas ao tentar enganar o árbitro e simular um pênalti aos 32 minutos. O atacante já tinha recebido um cartão amarelo pouco antes. Mesmo assim, o árbitro Francisco Carlos do Nascimento não perdoou, aplicou a segunda advertência e expulsou o jogador, que sequer ameaçou reclamar.

Apesar das substituições ofensivas, até desesperadas de Ney Franco, no segundo tempo, os últimos 45 minutos foram de ainda mais tensão para a equipe pernambucana. Com dez jogadores, o Leão não conseguiu segurar a veloz equipe de Guto Ferreira. Mas o clima de tensão predominou por causa da ineficiência dos baianos.

Foram chances atrás de chances e nada de gol. O Bahia desperdiçou pelo menos seis oportunidades claríssimas de gol. Nenhuma delas, porém, balançou as redes. O Sport manteve a esperança viva até os últimos momentos do jogo, mas também não apresentou força suficiente para reagir na Fonte Nova.

Dessa forma, foi só esperar o apito final. Se de um lado a lamentação imperava, para os baianos aquele foi o estopim para a festa, que só terminou depois da volta olímpica. Já eram 15 anos sem um título que não fosse o Estadual.

FICHA TÉCNICA
BAHIA 1 X 0 SPORT

Local: Fonte Nova, em Salvador (BA)
Data: 24 de maio de 2017, quarta-feira
Horário: 21h45 (Brasília)
Árbitro: Francisco Carlos do Nascimento (AL)
Assistentes: Esdras de Lima Albuquerque (AL) e Rondinelle dos Santos Tavares (AL)
Cartões amarelos: BAHIA: Régis, Edson e Renê Júnior. SPORT: Rogério (2), Ronaldo, Marquinhos
Cartão vermelho: SPORT: Rogério
Público: 41.175 torcedores
Renda: R$ 1.620.453,00

GOL:
BAHIA: 
Edigar Junio, aos 11 minutos do 1T.

BAHIA: Jean; Eduardo, Tiago, Lucas Fonseca e Armero; Edson, Renê Júnior (Juninho) e Régis (Matheus Sales); Zé Rafael (Gustavo), Allione e Edigar Junio.
Técnico: Guto Ferreira

SPORT: Magrão; Matheus Ferraz, Henriquez e Durval; Raul Prata (Marquinhos), Ronaldo (Leandro Pereira), Fabrício (Everton Felipe), Diego Souza e Mena; André e Rogério.
Técnico: Ney Franco

Informações da Gazata Esportiva.