Nossa Língua: Menelau Júnior

O professor Menelau Júnior é formado em Letras e possui especialização em Língua Portuguesa. É também escritor, apresentador de TV e dá dicas de português também em uma emissora de rádio e de tv de Caruaru. Leciona desde 1991 e é colunista do jornal Vanguarda e da TV Criativa.

Entenda o resultado do Enem - por Menelau Júnior

 

Os números do Enem 2015, divulgados esta semana pelo Inep e pelo MEC, revelaram, entre outras coisas, que escolas particulares são bem melhores que escolas públicas. Entretanto, algumas das particulares têm menos laboratórios, salas de informática e aparelhos multimídia. Do ponto de vista estrutural, as particulares só ganham das públicas nas quadras cobertas. Por que, então, os resultados do Enem dessas escolas públicas normalmente são inferiores aos das particulares? A resposta está nos pais e nos professores. Menos nestes, mais naqueles.

A base familiar faz toda a diferença quando queremos analisar os resultados dos bons alunos. Eles normalmente têm pais que leem, que investem em atividades educacionais, que frequentam cinemas, teatros e livrarias. Em outras palavras, é o ambiente em que o aluno vive o elemento mais importante quando se compararam resultados. Há exceções, claro, mas estamos aqui falando de estudos sérios e números gerais: estudantes cujos pais são letrados têm resultados mais expressivos. O próprio Enem já observou a diferença e agora divulga o resultado das escolas considerando o nível socioeconômico dos alunos. A constatação, quando se cruzaram os resultados, foi esperada: alunos de classes sociais mais elevadas têm resultados muito melhores que os alunos pobres. Ou seja, a escola, ainda que muito boa, dificilmente vencerá esse obstáculo: a vida do aluno - e a de seus pais - fazem muita diferença nos resultados escolares.

Quando se observa a nota das escolas, é preciso também olhar o tamanho delas. Algumas instituições de ensino "maquiam" resultados com um número baixo de alunos. Para saber quem é efetivamente melhor, é preciso observar o número de alunos em cada escola (as grandes têm mais de 90 alunos inscritos), a taxa de permanência do aluno na escola (há escolas que "roubam" bons alunos de outras no terceiro ano, apenas para obter bom resultado no Enem) e o nível socioeconômico (em 90% dos casos, as escolas de nível muito alto têm melhor resultado que as de nível alto).

Portanto, se você procura a escola para seu filho, não se deixe enganar por números gerais do Enem. Procure saber detalhes do resultado: quantos alunos a escola inscreveu para o Enem? Qual a taxa de permanência do aluno na escola? Qual a proposta pedagógica? Só para exemplificar como se dá o resultado do Enem, das dez primeiras escolas particulares do estado, apenas 6 inscreveram mais de 90 alunos. E dessas 6, apenas 3 têm taxa de permanência do aluno no ensino médio superior a 80%. Quando olhamos para as escolas grandes, que participam com muitos alunos e têm taxa de permanência superior a 80% - ou seja, são escolas que realmente se preocupam com a formação - , Caruaru tem apenas uma representante, que figura no sétimo lugar em Pernambuco quando observados esses dois critérios.